Portal de Notícias Correio do Mate
GeralNotícias

Após quase três meses, vendas no varejo voltam a registrar variação positiva frente a 2019

A Receita Estadual publicou, nesta quarta-feira (17/6), a 12ª edição do Boletim Semanal sobre os impactos da Covid-19 nas movimentações econômicas dos contribuintes de ICMS do Estado

130Visualizações
Portal de Notícias Correio do Mate

A Receita Estadual publicou, nesta quarta-feira (17/6), a 12ª edição do Boletim Semanal sobre os impactos da Covid-19 nas movimentações econômicas dos contribuintes de ICMS do Estado. O destaque dos principais indicadores econômico-fiscais do Rio Grande do Sul na última semana é a melhora no desempenho das vendas do varejo, que registrou o primeiro indicador positivo desde o final de março, sempre comparando a períodos equivalentes de 2019.

A publicação, disponível no site da Secretaria da Fazenda e no Receita Dados (portal de transparência da Receita Estadual), considera o período entre 16 de março, quando foram adotadas as primeiras medidas de quarentena pelo governo do Estado, e a última sexta-feira (12/6).

Conforme o Boletim, na última semana analisada, entre 6 e 12 de junho, as vendas do varejo apresentaram crescimento de 1% em relação ao mesmo período de 2019, com os devidos ajustes em razão do feriado de Corpus Christi.

“Embora percentualmente baixo, o avanço é representativo porque interrompe uma sequência de 11 semanas consecutivas de quedas no setor varejista. A redução chegou a ser de 39% e 38% no final de março e início de abril”, afirma Ricardo Neves Pereira, subsecretário da Receita Estadual.

Entre os setores varejistas, um dos destaques foi o de Vestuário, cuja variação, apesar de ainda negativa, passou de -23%, na semana anterior, para -10%, nesta semana de análise. Os segmentos de Lojas de Departamento e Magazines, Móveis e Materiais de Construção também tiveram bom desempenho: juntos, cresceram em média 21,6% em relação à mesma semana do ano passado. No acumulado do período de análise do Boletim (16/3 a 12/6), o varejo ainda registra queda de 16%.

O Atacado apresentou ganhos no comparativo interanual pela oitava semana seguida. As variações positivas no período variam entre 3% e 16%. O desempenho dos atacadistas de Alimentos e de Insumos Agropecuários continuam sendo os principais responsáveis pelo resultado.

Além disso, é válido mencionar o desempenho positivo do setor de atacado de Tabacos, que apresenta variações na casa dos 40% nas últimas semanas, e de Bebidas que, apesar de ainda acumular -15% no período de crise, registrou aumento de 9% na última semana em relação a 2019. No acumulado do período de análise do Boletim, o atacado encontra-se estável (variação zero).

Atividade industrial, após apontar crescimento na semana passada, retornou a patamares negativos nesta semana de análise (-10%). O único setor que saiu de uma semana de perdas para uma de ganhos foi o de “Madeira, Cimento e Vidro”, cuja variação foi de -7% para 5%, retornando ao patamar positivo que estava sendo apresentado desde o início de maio. Também é destaque a melhoria do setor industrial de Metalurgia, que registrou -13% de variação – apesar de negativo, é o melhor valor para este indicador desde o final de março.

Em sentido inverso, saindo de variações positivas para negativas nesta semana, estiveram os setores de Aves e Ovos, Móveis e Máquinas e Equipamentos. No acumulado do período de análise do Boletim, a indústria contabiliza queda de 16%. As menores variações acumuladas continuam sendo dos setores industriais de Veículos (-59%) e Coureiro-Calçadista (-58%), sendo as maiores as dos setores de Arroz (43%) e de Suínos (41%).

Combustíveis

A análise do ano de 2020 aponta que o Etanol é o combustível cujas vendas foram mais afetadas pela pandemia. Embora já indicasse desempenho abaixo em janeiro e fevereiro, as quedas foram ainda mais bruscas em março, abril e maio, além de continuarem altas em junho, embora em níveis menores.

Com isso, as vendas registram retração de 40% no acumulado do ano frente ao mesmo período de 2019. Durante o período de análise do Boletim (16 de março a 12 de junho), a redução média é de 57%.

O óleo diesel S-10 é o único combustível analisado que tem desempenho positivo. No acumulado do ano, o crescimento é de 15%. No período da pandemia, o avanço é mais baixo, de 9%. O óleo diesel S-500 tem retração de 13% em 2020 frente a 2019 e de 16% desde as primeiras medidas de quarentena, em 16 de março. A gasolina somum acumula queda interanual de 12%, sendo que no período de análise do Boletim essa redução é de 22%.

Em relação ao preço médio, os quatro combustíveis analisados apresentaram recentemente um movimento de queda, reflexo da atual conjuntura internacional acerca do petróleo.

Nas últimas semanas, entretanto, têm demonstrado tendência de recomposição nos preços. A gasolina comum, por exemplo, chegou a atingir R$ 4,79 no final de janeiro, estava em R$ 4,62 no dia 16 de março e passou ao patamar de R$ 3,81 no dia 6 de maio. Após, atingiu R$ 4,04 no dia 12 de junho, última data de análise da edição nº 12 do Boletim.

Clique aqui e acesse a 12ª edição do Boletim Semanal da Receita Estadual com os impactos da Covid-19.

Para acessar o Receita Dados e conferir informações diárias e em tempo real sobre arrecadação, documentos eletrônicos e combustíveis entre outros, clique aqui.

Texto: Ascom Sefaz/Receita Estadual

Portal de Notícias Correio do Mate
Sandra Meotti

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.