Notícias

Aposentados do INSS vão receber R$ 1,33 bilhão em atrasados

0
Tempo de leitura: 1 minuto

Segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que venceram ação judicial devem receber o pagamento em breve graças a liberação de uma verba. A Justiça Federal liberou nesta segunda-feira, dia 22, a quantia de R$ 1,33 bilhão para pagar 73.198 pessoas.

Vão receber o dinheiro do INSS quem tem direito a valores relativos às Requisições de Pequeno Valor (RPV), que têm limite de 60 salários mínimos (R$ 66 mil). Isso vale para quem teve decisão judicial favorável em outubro deste ano. O pagamento deve ocorrer em até dois meses.

Atrasados do INSS

O segurado que ganhou uma ação contra o INSS –de concessão ou revisão de um benefício, por exemplo– pode ter direito ao pagamento dos valores atrasados, limitados aos últimos cinco anos.

Quem tem que receber um valor de até 60 salários mínimos é pago por meio das RPVs, mas o segurado que tem quantia superior de R$ 66 mil recebe por meio de precatório, que sai uma vez por ano.

A quitação dos precatórios depende da liberação anual do governo federal. A CMO (Comissão Mista de Orçamento) já liberou a consulta dos processos cuja grana será paga em 2022. A estimativa é que o governo federal gaste R$ 89 bilhões com precatórios, parte deles previdenciários. No entanto, a PEC dos Precatórios, atualmente em discussão no Senado, poderá atrasar o pagamento dos processos de revisão que rendam atrasados acima de 60 salários mínimos. A proposta não vai alterar o direito aos atrasados do INSS ou às revisões, porém, pode postergar a liberação do dinheiro de aposentados.

FONTE: Agência Brasil

Andressa de Oliveira

Presidente da Petrobras diz que venda de refinarias vai reduzir o preço dos combustíveis

Artigo anterior

GUAPORÉ | Audiência Pública apresenta estimativa do Orçamento para 2022

Próximo artigo

Você também pode gostar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.