Portal de Notícias Correio do Mate
GeralNotícias

Câmara dos Deputados aprova recomposição de receitas do ICMS devido à Covid-19

A Câmara dos Deputados aprovou na segunda-feira (13/4) o Projeto de Lei Complementar 149/19, que prevê ajuda financeira da União a Estados e municípios para compensar a queda de arrecadação em razão da crise da Covid-19

78Visualizações
Portal de Notícias Correio do Mate

A Câmara dos Deputados aprovou na segunda-feira (13/4) o Projeto de Lei Complementar 149/19, que prevê ajuda financeira da União a Estados e municípios para compensar a queda de arrecadação em razão da crise da Covid-19. Pelo texto aprovado por 431 votos a 70, o governo federal repassará aos entes subnacionais a diferença de receitas deste ano em comparação aos valores nominais do ano passado.

Com a pandemia do coronavírus, o Rio Grande do Sul estima queda de arrecadação em torno de 30% nos próximos três meses. A matéria foi aprovada na forma do substitutivo do deputado federal Pedro Paulo e segue para o Senado.

A ajuda emergencial do governo federal prevê a transferência de recursos diretos para Estados e municípios enfrentarem a queda de arrecadação tributária. O auxílio financeiro corresponderá à diferença nominal entre a arrecadação do ICMS e do ISS de cada Estado nos meses de abril, maio, junho, julho, agosto e setembro de 2020 e a dos mesmos meses do exercício anterior. Os recursos serão repassados diretamente, sendo 75% ao Estado e 25% aos municípios, nos meses de maio a outubro.

O texto aprovado também suspende o pagamento de dívidas de Estados e municípios contraídas com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Caixa Econômica Federal com vencimento entre 1º de março e 31 de dezembro de 2020. Para o RS, representam cerca de R$ 14 milhões por mês.

De acordo com o secretário da Fazenda, Marco Aurelio Cardoso, a recomposição da arrecadação é extremamente importante para o Rio Grande do Sul e outros Estados que já vêm enfrentando, desde março, dificuldades fiscais agravadas pela pandemia do coronavírus. “É o governo Federal que consegue dar suporte e respostas aos Estados neste momento, antes de entrarmos em colapso financeiro diante da emergência sanitária imposta pela Covid-19. O Rio Grande do Sul tem perdas de arrecadação estimadas em R$ 2,5 bilhões caso a crise se estenda por três meses e precisamos realmente que aporte de recursos para controlar a queda de receita do ICMS seja aprovado de forma célere”, ressaltou o secretário, destacando a ação do Ministério da Fazenda e dos deputados para que o texto fosse voltado celeremente.

Marco Aurelio também destacou que essa ajuda de curto prazo não exclui a relevância da análise posterior do chamado Plano Mansueto, que, para o Rio Grande do Sul, representará a possibilidade de adesão ao Regime de Recuperação Fiscal, fundamental para o auxílio de médio e longo prazos.

Fonte: http://www.agm.org.br

Portal de Notícias Correio do Mate
Sandra Meotti

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.