Portal de Notícias Correio do Mate
GeralNotícias

Com recursos da Assembleia, estudantes gaúchos terão internet para acessar aulas não presenciais

Sem aulas presenciais desde 19 de março devido ao coronavírus, estudantes da rede estadual de ensino terão ampliação de internet para que possam continuar aprendendo

252Visualizações
Portal de Notícias Correio do Mate

Sem aulas presenciais desde 19 de março devido ao coronavírus, estudantes da rede estadual de ensino terão ampliação de internet para que possam continuar aprendendo. Por sugestão do deputado Gabriel Souza (MDB), a Assembleia Legislativa devolverá R$ 5,4 milhões do seu orçamento, ao longo de 12 meses, para que a Secretaria Estadual da Educação ofereça internet para smartphones cadastrados de até 900 mil alunos e professores gaúchos. A ampliação da franquia só permitirá acesso a conteúdos educacionais.

Na manhã desta quarta-feira (13), o presidente da Assembleia, Ernani Polo (PP), e o deputado Gabriel Souza alinharam a iniciativa com o secretário estadual da Educação, Faisal Karam, na sala da Presidência. Nas próximas duas semanas, a pasta trabalhará no cadastramento das linhas de celular junto às quatro operadoras de telefonia que atuam no Estado (Vivo, TIM, Oi e Claro) e no treinamento dos professores. A transmissão do conteúdo será por meio do aplicativo Google Classroom (Google Sala de Aula). A velocidade da conexão será de 50 Mbps (megabits por segundo).

A meta de Faisal é começar as aulas virtuais dos professores com seus alunos na primeira semana de junho. “Os educadores terão autonomia para escolher e priorizar os conteúdos, que serão novos. Infelizmente, não teremos tempo hábil para cumprir o calendário completo neste ano”, antecipou o secretário da Educação. Além de agradecer a parceria da Assembleia, Faisal relatou que as atividades a distância terão continuidade na rede estadual mesmo após o retorno das aulas presenciais. Quando for possível a volta às classes escolares, os alunos serão submetidos a um teste virtual para atestar o conhecimento assimilado durante as aulas a distância. A avaliação será aplicada pela Universidade Federal de Juiz de Fora, a mesma que aplica a Prova Brasil.

A iniciativa, segundo o deputado Gabriel Souza, surgiu numa reunião da Comissão de Educação da Assembleia com Faisal, quando se levantou a preocupação em conciliar o isolamento social com a continuidade do ano letivo durante a pandemia. “Nunca haverá a substituição do ambiente escolar, em especial no Ensino Fundamental e Médio, mas, neste momento, temos de encontrar uma solução razoável para oferecer a continuidade do ano letivo com a mínima qualidade necessária”, afirmou.

TV Assembleia
Outra iniciativa do Parlamento gaúcho de apoio à educação durante a pandemia é a cedência da grade de programação da TV Assembleia para a exibição de 40 horas de aulas semanais. O canal vai transmitir aulas de reforço para estudantes do Ensino Médio que estão se preparando para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). A iniciativa é resultado de um convênio entre a Assembleia e governo do Estado, por meio da Secretaria da Educação e da TVE.

A proposta busca complementar a formação dos alunos do Ensino Médio sem que eles sejam prejudicados por conta da suspensão das aulas presenciais. Na TV AL, as aulas serão transmitidas a partir das próximas semanas, de segunda a sexta-feira, das 7h às 9h e das 20h às 22h. Aos sábados e domingos, os conteúdos da semana serão reapresentados, totalizando 40 horas semanais de preparatório. O projeto segue até 31 de outubro.

“Nosso objetivo é atender às necessidades dos estudantes que estão se preparando para o futuro e viabilizar horários alternativos para que todos tenham a possibilidade de acesso ao conteúdo”, explica o superintendente de Comunicação e Cultura da Assembleia, André Machado.

Fonte: AL RS

Portal de Notícias Correio do Mate
Sandra Meotti

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.