Portal de Notícias Correio do Mate
GeralNotícias

Corsan trabalha para manter abastecimento e alerta para agravamento da estiagem

No atual momento de pandemia, água é essencial para higienização das mãos e das casas

191Visualizações
Portal de Notícias Correio do Mate

Para enfrentar a maior estiagem dos últimos anos, a Corsan tem executado uma série de ações para manter a normalidade do abastecimento. Diante da crise sanitária, a companhia trabalha para assegurar fornecimento de água, primeira barreira contra o coronavírus. Cerca de 6 mil profissionais atuam diuturnamente para que nenhum município em emergência precise racionar esse recurso. Para que isso não ocorra, o uso responsável da água pela população e o retorno da chuva são fundamentais.

Com a redução dos níveis das fontes de captação, a Corsan tem buscado soluções para abastecer as cidades que estão com mananciais comprometidos pela falta de chuva. Municípios como Caçapava do Sul, Garibaldi, Nova Petrópolis e Santa Cruz do Sul enfrentam estado crítico de estiagem. A fim de garantir a continuidade do abastecimento, a companhia está utilizando o apoio de caminhões-pipa em Barão do Cotegipe, Bom Jesus, Caçapava do Sul, Canguçu, Dois Irmãos, Encruzilhada do Sul, Farroupilha, Fontoura Xavier, Garibaldi, Lagoa Vermelha, Miraguaí, Morro Redondo, Morro Reuter, Nova Araçá, Nova Roma do Sul e Pinto Bandeira.

Além de uma campanha de mídia que busca conscientizar a população sobre o uso responsável da água, medidas operacionais estão sendo tomadas em várias regiões, para garantir o abastecimento. Confira abaixo alguns dos esforços realizados em cada uma das superintendências regionais da companhia.

Central

Em Santa Cruz do Sul, a Corsan reforçou a busca por vazamentos invisíveis e instalou equipamentos para a gestão noturna de válvulas. Foram aproveitados e perfurados poços, além de pré-recalques, ampliando a produção de água e a recarga do Lago Dourado.

Em Venâncio Aires, a empresa aproveitou três novos poços artesianos, aumentando em 15% a capacidade produtiva, e será implantado um barramento para acúmulo de água junto à captação, afastando o racionamento.

Em Sobradinho, houve montagem emergencial de poços, em função de o rio que abastece a cidade ter parado de correr.

Em Restinga Seca, foi feita a transposição do rio Vacacaí Mirim, para recarregar a barragem que abastece o município, a qual teve o nível muito reduzido.

Em Candelária, a barragem de nível no rio Pardo foi feita para manter a captação de água no manancial, que também está quase seco.

Em Cachoeira do Sul, foi instalada uma bomba de pré-recalque no rio Jacuí, para manter o abastecimento (o rio baixou a ponto de não ter água no atual ponto de captação).

Em Rio Pardo, teve a instalação de uma bomba no rio Jacuí para atender à demanda da cidade, considerando que a captação está fora do nível do manancial.

Em Barros Cassal, a companhia montou um poço artesiano e desassoreou a barragem.

Fronteira

Devido ao baixo nível do rio Uruguai, a Companhia fez a montagem e a instalação de novo recalque provisório em Itaqui, para abastecer o primeiro recalque da cidade. Situação similar está sendo realizada em São Borja, devido ao baixo nível do rio Uruguai.

Litoral

Efetuou-se intervenção na captação de Santo Antônio da Patrulha, no rio dos Sinos, elevando o nível do barramento em 30 centímetros, com a colocação de pedras. Em Glorinha, foi instalada bomba submersível no canal do arroio Passo Grande, a fim de evitar desabastecimento.

Metropolitana

Balsas foram instaladas na captação de Gravataí, e a Estação de Água Bruta (EAB) 1C foi recuperada em Cachoeirinha, onde, além da parte elétrica da subestação, foi feita pintura e trocado o telhado. A EAB 1C, que recebe água bruta do arroio das Garças, pode recalcá-la para Alvorada, caso haja problemas maiores na captação deste município, localizada junto ao rio Gravataí.

Missões

Assim como nas outras regionais, as ações da Regional Missões abrangem várias cidades.

Em Horizontina, uma obra preventiva foi finalizada ainda no ano passado, para aumentar a reservação do volume de água na barragem de captação no Lajeado Pratos. Foi aumentada a barragem de contenção, com a instalação de uma nova comporta com sistema de abertura que garante uma melhor eficiência quando operada. Com esse aumento da estrutura, conseguiu-se uma ampliação de cerca de 20% na área da superfície da represa e, consequentemente, um volume maior também de reserva de água. Isso garantiu que, mesmo com a atual estiagem, não houvesse falta de água para o abastecimento do município. Além disso, está em conclusão o sistema de telemetria e automação do primeiro recalque, o que garantirá um melhor controle no bombeamento e adução da água para tratamento e distribuição.

Em Ijuí, também foi feita usinagem do anel de desgaste de um dos grupos motobombas e troca do conjunto girante no primeiro recalque. O desgaste se dá em função das condições de operação e das características da água. Essa ação resultou no incremento de vazão de 355 para 385 litros por segundo.

Em Independência, houve a montagem e colocação em operação do poço IND-014, que normalizou a situação do abastecimento do município.

Em Tenente Portela, a companhia realizou serviços de medição e controle dos níveis dos poços.

Nordeste

Em Canela e Gramado, a Corsan realizou perfurações de poços e instalações que otimizam o bombeamento, o acúmulo e o tratamento de água. Também duplicou adutoras e aumentou o reservatório na Várzea Grande, entre outras melhorias.

Em Estrela, o abastecimento segue com normalidade, mas já estão em andamento as obras para implantação do poço da estação 29, deixando a população prevenida, caso a falta de chuva persista.

Em Lajeado, mesmo com o baixo nível do rio Taquari, não há risco iminente de desabastecimento, mantendo o bom funcionamento das bombas até o momento.

Em Nova Petrópolis, a barragem está chegando a um nível preocupante. Por isso, foi realizada a perfuração de poços para garantir o abastecimento por caminhões-pipa, preservando o consumo de água da barragem.

Em Fontoura Xavier, a situação é alarmante. Com a barragem seca, o abastecimento é mantido por meio de caminhões-pipa.

Em Garibaldi, o nível baixo da barragem permite uma obra de desassoreamento para elevar o volume de água bruta. Enquanto isso, a Corsan está perfurando poços e abastecendo a região com caminhões-pipa.

Outras medidas tomadas na Regional Nordeste incluíram a perfuração de novos poços em Jaquirana, Nova Araçá e Vila Flores, além de manutenção nas barragens de Cotiporã, Nova Prata, São Marcos e Veranópolis.

Em São Francisco de Paula, o abastecimento segue com normalidade. A barragem mantém um bom volume de água armazenado, com seu nível caindo lentamente.

Em Bom Jesus, a barragem está quase em nível crítico. Para evitar o racionamento, a Corsan já perfurou um poço junto a ela e programou mais quatro na cidade. Também foi reforçada a busca de vazamentos invisíveis, bem como outras formas de abastecimento.

Em Bom Retiro do Sul, a falta de chuva fez cair muito o nível de água acumulada, por isso, foram adicionadas bombas auxiliares para que não ocorra o desabastecimento.

Em Encantado, o nível de água acumulada está baixo. Caso persista a queda, a Corsan já está preparada para a instalação de bombas auxiliares, evitando a possibilidade de desabastecimento.

Pampa

Em Caçapava do Sul, ambas as barragens que abastecem a cidade estão extremamente baixas, sendo que a Barragem da Fonte do Mato opera apenas com a vazão de segurança, sendo operada por meio de um pré-recalque e, para complementar o abastecimento, são utilizados caminhões-pipa. A Companhia também aproveita o momento para desassorear as barragens e mais que dobrar a capacidade de armazenamento de água para o próximo verão. Ainda com o intuito de minimizar os efeitos da estiagem, a Corsan executou a transposição de água de um açude para a barragem de Encruzilhada do Sul. A obra possibilita manter o abastecimento da cidade.

Planalto

Em Passo Fundo, a companhia buscou alternativas para garantir o abastecimento, realizando duas transposições. As barragens do Miranda e da Fazenda, responsáveis pelo abastecimento do município, passaram a receber água, respectivamente, da Pedreira São José e do rio Jacuí. As ações na cidade também incluem consertos de vazamentos, monitoramentos das barragens e implementação de melhorias.

Em Carazinho, a Corsan monitora constantemente os poços. A busca e o conserto de vazamentos foram intensificados. Todo tipo de desperdício deve ser evitado para afastar a possibilidade de racionamento.

Em Erechim, ocorreram duas grandes obras de transposição: do rio do Cravo e do rio do Campo. A companhia também ativou o poço que leva água do Aquífero Guarani direto para a barragem local, perfurou novos poços e instalou sistemas de bombeamento.

Em Vacaria, foi realizada a obra de transposição do rio Passo da Porteira para a barragem local, afastando a possibilidade de racionamento na cidade. Em Lagoa Vermelha, foi perfurado um novo poço e se está complementando o abastecimento por caminhão-pipa.

Vale do Sinos

Uma nova captação de água bruta beneficia Campo Bom, Sapiranga, Estância Velha e Portão, aumentando a produção da Estação de Tratamento de Água (ETA) de Campo Bom dos atuais 550 litros por segundo para mil litros por segundo, o que garante o abastecimento de água das quatro cidades, mesmo diante da atual estiagem.

Está em andamento o barramento emergencial do arroio Feitoria, ponto de captação da Corsan para Dois Irmãos e Morro Reuter. O objetivo é garantir a produção de 80 litros por segundo na ETA de Dois Irmãos, que também atende a Morro Reuter.

Sul

A Corsan fez atuações operacionais em Capão do Leão, Canguçu, Morro Redondo e Pinheiro Machado, visando garantir o abastecimento. Foram realizadas transposição de barragens, complementação de abastecimento por caminhões-pipa e melhorias nas captações, evitando assim o racionamento. A companhia também colocou em operação a ETA da Embrapa, em Capão do Leão.

EVITAR DESPERDÍCIOS

A Corsan está fazendo a sua parte e solicita que a população colabore, evitando desperdícios. Especialmente no atual momento de pandemia, a água é essencial para todos, devendo ser usada para o mais importante: higienização das mãos e das casas. A água é uma responsabilidade coletiva. Por isso, durante a estiagem, é fundamental tomar atitudes como:

• não lavar o carro;

• usar somente vassoura para limpar calçada e quintal;

• não fazer uso de grandes volumes, como o de piscinas plásticas;

• utilizar regador para molhar as plantas nos horários de menor incidência de sol;

• regular válvulas de descarga;

• ficar de olho em vazamentos e torneiras pingando;

• colocar o máximo de roupas na máquina a cada lavagem.

Texto: Ascom Corsan

Portal de Notícias Correio do Mate
Sandra Meotti

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.