GeralNotícias

Estado deve manter bandeira preta até o início de abril

0
Tempo de leitura: 1 minuto

RIO GRANDE DO SUL | Com a alta ocupação de leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) nos hospitais do Estado e o crescente número de casos positivos de Covid-19, o Governo do RS estuda manter a bandeira preta até o início de abril. A medida, estabelece medidas mais rígidas de isolamento e maiores restrições no sistema de distanciamento controlado, visando, assim, diminuir a disseminação do novo coronavírus.

Em entrevista a um veículo de comunicação da capital, o governador, Eduardo Leite, afirmou que, provavelmente, o Estado entrará no mês de abril nesta condição. Conforme informações do Governo, se mantida a tendência atual dos indicadores que formam o cálculo das bandeiras, a perspectiva é de que a bandeira preta permaneça até que haja uma reversão no cenário e queda nos números. Essas projeções são baseadas nos dados que compõem o modelo de Distanciamento Controlado.

Segundo informações divulgadas no início da tarde desta segunda-feira, o número de pacientes confirmados com a doença em UTIs, um dos indicadores analisados, aponta que houve um aumento de 800 para cerca de 2,5 mil pessoas nessa condição. Ou seja, ainda há uma situação de superlotação dos hospitais, fazendo com que o modelo do Distanciamento Controlado indique a bandeira preta.

Em relação a cogestão, suspensa no dia 27 de fevereiro, o Governo do Estado pretende conversar com os prefeitos na tarde de sexta-feira para definir os próximos passos. De acordo com a assessoria de imprensa do RS, mesmo que haja uma eventual decisão de retomar a cogestão, o governo entende que serão necessários ajustes nos protocolos da bandeira vermelha, tornando as atividades mais restritas.

fonte: O Informativo do Vale

Andressa de Oliveira

ARVOREZINHA | Larvicida para controle de borrachudos é distribuído na zona rural do município

Artigo anterior

ILÓPOLIS | Hospital Leonilda Brunet recebe dois respiradores indicados pelo deputado Dirceu Franciscon

Próximo artigo

Você também pode gostar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Mais Geral