Portal de Notícias Correio do Mate
GeralNotícias

Farsul dá orientações para a renegociação de dívidas por perdas pela seca

Medida acontece após dúvidas de produtores

158Visualizações
Portal de Notícias Correio do Mate

Produtores rurais estão procurando a Farsul e os sindicatos rurais com questionamentos sobre a renegociação das dívidas causadas pela seca. Uma das principais dúvidas está na negativa dos bancos em realizar o acordo mesmo após a Resolução nr. 4.802, do Banco Central, de 9 de abril. Conforme a Federação, há um período entre a publicação da medida e sua efetivação nas agências bancárias, mas os interessados podem e devem protocolar, desde já, junto aos bancos, o requerimento informando o interesse na negociação.

O economista-Chefe do Sistema Farsul, Antônio da Luz, explica que após a publicação da resolução existe um trâmite que vai do conhecimento das medidas pelas diretorias dos bancos, definições dos formatos que serão adotados e comunicação às agências. “Isso pode levar entre duas e quatro semanas”, comenta.

O diretor jurídico da Farsul, Nestor Hein, reforça que o produtor deve realizar o mais breve possível, de preferência antes do vencimento do débito, o requerimento manifestando o interesse na renegociação. Para isso, a assessoria jurídica da Federação elaborou um modelo para que seja protocolado pelo produtor rural na sua agência bancária. Para ter acesso ao modelo de requerimento, o produtor pode consultar o Sindicato Rural de sua região ou entrar em contato com o Departamento Jurídico da Farsul pelo e-mail juridico@farsul.org.br.

Conforme a resolução, as dívidas relativas ao custeio vencidas ou vincendas entre 1º de março a 31 de dezembro de 2020 terão até sete anos de parcelamento. Os investimentos com parcelas vencidas ou vincendas entre 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2020, terão a prestação transferida para após a última. O mesmo acontecendo com as parcelas das renegociações de anos anteriores.

Fonte: Farsul

Portal de Notícias Correio do Mate
Sandra Meotti

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.