NotíciasPolícia

Guaporé: Operação Spartacus I é desencadeada pelo Exército Brasileiro

0
Tempo de leitura: 1 minuto

O Exército Brasileiro desencadeou, de 27 de setembro a 4 de outubro em todo o território do Rio Grande do Sul, a Operação Spartacus I. O objetivo é fiscalizar o comércio de armas de fogo, munições, armas de pressão e insumos de munições, acessórios para arma, explosivos, blindagem, artifícios pirotécnicos e particulares. Além destes, empresas que trabalham ou possuem produtos químicos controlados pelo Exército também estão sendo fiscalizadas.
Na região de Guaporé, oficiais do 7º Batalhão de Infantaria Blindado (7º BIB), “Regimento Gomes Carneiro”, de Santa Cruz do Sul, por intermédio do Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados de Guarnição (SFPC/Gu), estão realizando atividades de vistoria em aproximadamente 20 empresas do ramo joalheiro. A finalidade é coibir e reprimir o desvio, armazenamento inadequado e a falta de controle de estoque e a utilização dos produtos sem autorização. Estabelecimentos industriais que estiverem em desacordo com a legislação vigente estão sendo autuados.
“A realização dessa operação faz parte de um conjunto de medidas adotadas pelo Exército Brasileiro para tornar cada vez mais eficiente a fiscalização dos produtos que controla, trabalho este que é realizado continua e ininterruptamente pela Força Terrestre”, destaca a nota oficial.
Fiscalização

Operação Spartacus I é desencadeada pelo Exército Brasileiro

Empresas que trabalham ou possuem Produtos Controlados estão sendo vistoriadas em Guaporé

O Exército Brasileiro desencadeou, de 27 de setembro a 4 de outubro em todo o território do Rio Grande do Sul, a Operação Spartacus I. O objetivo é fiscalizar o comércio de armas de fogo, munições, armas de pressão e insumos de munições, acessórios para arma, explosivos, blindagem, artifícios pirotécnicos e particulares. Além destes, empresas que trabalham ou possuem produtos químicos controlados pelo Exército também estão sendo fiscalizadas.
Na região de Guaporé, oficiais do 7º Batalhão de Infantaria Blindado (7º BIB), “Regimento Gomes Carneiro”, de Santa Cruz do Sul, por intermédio do Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados de Guarnição (SFPC/Gu), estão realizando atividades de vistoria em aproximadamente 20 empresas do ramo joalheiro. A finalidade é coibir e reprimir o desvio, armazenamento inadequado e a falta de controle de estoque e a utilização dos produtos sem autorização. Estabelecimentos industriais que estiverem em desacordo com a legislação vigente estão sendo autuados.
“A realização dessa operação faz parte de um conjunto de medidas adotadas pelo Exército Brasileiro para tornar cada vez mais eficiente a fiscalização dos produtos que controla, trabalho este que é realizado continua e ininterruptamente pela Força Terrestre”, destaca a nota oficial.
Dois policiais do 4º Pelotão da Brigada Militar (BM), comandados pelo tenente Júlio César de Oliveira Greff, e dois servidores do Corpo de Bombeiros Militar (CB), de Guaporé, sob comando do sargento Rebello, apoiam o Exército em ambiente interagências. Os bombeiros aproveitam a passagem pelas empresas para realizar fiscalizações das licenças (alvarás).

Central de Conteúdo/Rádio Aurora 107.1 FM

Sandra Meotti

Qualidade das águas no RS é o tema do Diálogos Fepam nesta sexta, dia 2

Artigo anterior

Valor da produção agrícola foi recorde em 2019 e atingiu R$ 361 bi

Próximo artigo

Você também pode gostar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.