Portal de Notícias Correio do Mate
GeralNotícias

Lançamento do primeiro volume do livro “A Colônia Guaporé”

Muito emocionado, feliz e honrado pelo carinho recebido de todos que apreciam a nossa história, destacou Giovani Balbinot

199Visualizações
Portal de Notícias Correio do Mate

O lançamento do primeiro volume do livro “A Colônia Guaporé: configuração territorial, política e econômica (1892-1940)”, de autoria de Giovani Balbinot, com a colaboração do professor João Carlos Tedesco, marcou-se pela participação maciça da comunidade que, durante cerca de quatro horas, lotou as dependências de um dos imóveis que fez e continua fazendo parte da história do município: a antiga Casa de Agilberto Atílio Maia (3º Intendente de Guaporé) que abriga atualmente o Museu Municipal. Familiares, amigos, autoridades dos Poderes Executivo e Legislativo, membros de entidades, entusiastas pela cidade, alunos e ex-alunos de Balbinot foram recebidos com muito carinho e atenção durante a sessão de autógrafos.
Eufórico com o momento e surpreendido pela quantidade de pessoas interessadas pela preservação da memória da “Grande Guaporé”, Balbinot salientou que a obra aprofunda aspectos do primeiro ciclo econômico na região, período que configurou-se fundamental para a compreensão da dinâmica territorial, produtiva e mercantil.
“Confesso que fiquei muito emocionado, feliz e honrado pelo carinho recebido de todos que apreciam a nossa história. Me surpreendi e fiquei impactado com a quantidade de amigos que aqui estiveram para prestigiar o lançamento do livro. Jamais imaginei que a obra fosse abraçada pela comunidade guaporense. Não tenho palavras para agradecer a presença de cada um de vocês que, tornaram o lançamento do livro ‘A Colônia de Guaporé’, um momento único e muito maior do que eu imaginava”, destacou Balbinot.
Foram seis anos de pesquisas e muitas atividades até a conclusão da obra literária que, será completa, com o lançamento do segundo volume. Conforme Balbinot, nos primeiros anos da Colônia Guaporé e a constituição do município-mãe até meados do século XX, buscou-se dar ênfase à dimensão territorial, ou seja, a configuração do território (infraestrutura, ligações regionais, abertura e dinamismo do porto de Muçum, entre outros), à mobilidade populacional (imigração europeia e migrações internas), à constituição de comunidades e distritos, dinâmica econômica e mediação política.
“Esse volume contempla aspectos deste ciclo e fornece as bases para entendimento das dinâmicas e das performances temporais e econômicas que configuraram até então o território que pertencia à Colônia de Guaporé. É um livro riquíssimo onde busco, juntamente com o professor Tedesco, dimensionar historicamente alguns processos relacionais e ambientais que deram formato à base econômica, social e política do território-mãe nas primeiras décadas”.
Para o complemento da obra “A Colônia de Guaporé”, com a história sendo contada a partir de 1940 e se estendendo até 2017, o professor prepara o segundo volume. Este, segundo Balbinot, está em processo de finalização e deve ser lançado no mês de dezembro de 2020, quando Guaporé comemora 117 anos de história.
“É uma obra mais extensa e detalha que abarca os anos de 1940 até 2016. O trabalho, acredito, é de fundamental importância para que possamos entender a economia, a política e a sociedade guaporense atual. Espero que todos que estiveram aqui e aqueles que vão adquirir o primeiro volume possam retornar para dar continuidade à leitura da segunda obra”, salienta o autor.
Balbinot destaca ainda:
“O caloroso abraço da comunidade à produção historiográfica é algo que nos incentiva a continuar publicando, pesquisando e indo adiante com essas obras sobre nossa história, cultura e identidade. Tenho grandes planos para o futuro, não só para dar sequência à obra “A Colônia Guaporé’, mas outros títulos de personalidades e entidade”, afirmou o professor.

Central de Conteúdo/Rádio Aurora 107.1 FM

Portal de Notícias Correio do Mate
Sandra Meotti

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.