Notícias

Necessidades nutricionais de uma criança. Quais são?

0
Tempo de leitura: 1 minuto

A prática de uma alimentação balanceada e hábitos alimentares saudáveis desde a infância é de suma importância, pois isso irá proporcionar um bom crescimento e desenvolvimento físico e intelectual da criança, reduzindo os transtornos causados pelas deficiências nutricionais e evitando a manifestação da obesidade e outros distúrbios alimentares.

Segundo a Nutricionista Ketty Pinto Corazza a nutrição infantil inicia já no ventre materno com a alimentação saudável da mae, e segue após o nascimento do bebê com o leite materno que deve ser o seu alimento exclusivo até o seu sexto mês de vida. “A nutrição infantil é assunto sério e começa na gestação e segue por toda a infância. A criança ao ter uma alimentação saudável protegerá o seu organismo de possíveis doenças futuras”, explica.

A introdução alimentar

Segundo a nutricionista é entre 6 e 12 meses de idade, que a criança descobre o mundo mágico dos alimentos.

Para a Ketty existem algumas razões pelas quais se inicia a introdução alimentar aos 6 meses de idade. “A primeira delas é simplesmente pelo fato que o bebê não precisa de nenhum outro alimento além do leite materno, que contém tudo o que ele precisa, desde calorias, nutrientes, anticorpos, água, fatores de crescimento e muito mais. E a segunda razão pela qual iniciamos a introdução alimentar aos 6 meses está relacionada ao desenvolvimento do bebê. O bebê apresenta o que chamamos de sinais de prontidão”, esclarece.

Segundo Ketty os sinais de prontidão são ações que mostram que a criança esta pronta para ingerir alimentos sólidos. “Então, quando a criança já consegue sentar sozinho, explorar objetos com a mão e mostrar interesse pelo alimento e levá-lo a boca são sinais de que ele esta pronto”, salienta.

Ela explica que a introdução alimentar deve começar com a oferta de duas papas de fruta e um papa de legumes diariamente durante o primeiro mês. “A papa de legumes deve conter um alimento de cada grupo alimentar. Lembre-se de oferecer água filtrada e fervida nos intervalos das refeições. Também é importante oferecer duas frutas diferentes por dia. As refeições podem ser feitas conforme os horários da família, mas é preciso respeitar o apetite da criança e saber diferenciarem sinais de fome de outros desconfortos, como sede ou sono,”, salienta Ketty.

Necessidades nutricionais da criança de 2 a 11 anos

Segundo a nutricionista conforme a idade são oferecidos alimentos específicos para compor um cardápio equilibrado. “De 2 a 5 anos: hortaliças e fontes de cálcio (lácteos e folhas verdes), por conta do crescimento e desenvolvimento dos ossos. Nesta fase a criança já consome os mesmos alimentos que a família e já deve ser estimulada a comer frutas e hortaliças inteiras. De 6 a 10 anos: na idade escolar é comum o apetite aumentar, mas é preciso ficar atento para que os alimentos consumidos sejam saudáveis para dar energia sem favorecer o sobrepeso, carboidratos saudáveis como batata doce, aipim, inhame, batata baroa, batata inglesa, assim como a aveia, as frutas e o tradicional arroz e feijão. Acima de 11 anos: Nessa fase é comum os pré-adolescentes quererem trocar os alimentos por lanches rápidos (fast foods) ricos em sódio, açúcar e gorduras saturadas e trans, que podem trazer

impacto negativo à saúde. O ideal e limitar o consumo destes alimentos a alguns momentos específicos na semana”pontua.

Construção dos hábitos alimentares

A nutricionista ressalta que em geral as crianças escolhem os alimentos que lhes são servidos frequentemente, e elas tendem a preferir os alimentos que facilmente estão disponíveis em casa. “E uma série de estudos, consistentemente tem mostrado que a aceitação a novos alimentos aumenta por meio de repetidas exposições, podendo requerer entre 8 a 10 exposições em crianças com 2 anos e de 8 a 15 vezes para crianças entre 4 e 5 anos de idade, antes que se consigam modificações definitivas na alimentação”, explica.

Segundo a nutricionista os pais que abordam em família o conhecimento sobre nutrição, ou, mais especificamente, sobre o valor nutricional dos alimentos, têm crianças que apresentam um maior conhecimento referente à alimentação. “Então as mães que, frequentemente, discutem tópicos como: “quais alimentos você gostou”, “quais alimentos são bons para o nosso consumo”, “vamos experimentar um novo alimento” ou “quais alimentos devemos preparar para refeição”, fomentam na criança o interesse pelo alimento aumentando, assim, a sua aceitação”, relata.

Embora a família seja um importante determinante na formação dos hábitos alimentares não se pode deixar de mencionar a escola, a rede social, as condições socioeconômicas e culturais também influenciam. “Todo o contexto da criança influenciam no processo de construção dos hábitos alimentares e, consequentemente, do indivíduo adulto”, salienta.

Quando levar uma criança na nutricionista?

Ketty recomenda que a primeira consulta aconteça no início da introdução alimentar. “Para que se possa trabalhar a prevenção de doenças por meio do cuidado com a alimentação. Então a orientação é que os pais levem os filhos por volta de cinco meses a nutricionista”, pontua.

Andressa de Oliveira

ESPUMOSO | Milena Oliveira inaugura Estúdio de Beleza no município

Artigo anterior

SERAFINA CORRÊA | Servidores Municipais participaram de capacitação sobre a nova lei de licitações

Próximo artigo

Você também pode gostar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.