GeralNotícias

Secretaria da Saúde volta a prorrogar tratamento de usuários das farmácias do Estado

0
Tempo de leitura: 1 minuto

Os usuários das Farmácias de Medicamentos Especiais em todos os municípios do Estado terão o tratamento prorrogado automaticamente por mais três meses. A norma foi acordada entre a Coordenação de Política de Assistência Farmacêutica da Secretaria da Saúde (SES) e o Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems/RS), a fim de diminuir a necessidade dos usuários se deslocarem até seu médico e à farmácia para renovar documentos (receitas e laudos médicos). Em março, ocorreu a primeira prorrogação, com intuito de auxiliar no distanciamento social e na prevenção da Covid-19, especialmente para as pessoas dos grupos de risco.

A partir da nova regra, os tratamentos que venciam em novembro passarão a valer até o fim de fevereiro de 2021, e os que venciam em dezembro valerão até março de 2021. De acordo com o coordenador da Divisão de Monitoramento e Avaliação da Coordenação da Política de Assistência Farmacêutica, Rodrigo Prado da Costa, a prorrogação será efetuada somente para os casos em que houve pelo menos uma dispensação entre os meses de junho e novembro e também para os casos em que não houve mudança no tratamento e na posologia. “Com isso, desejamos contribuir com o esvaziamento dos serviços de saúde, que poderão focar em casos de maior urgência e evitar a exposição desnecessária dos pacientes”, disse Costa.

Dispensação antecipada

Outra ação da SES para diminuir a presença de pessoas nas Farmácias de Medicamentos Especiais foi a atualização da lista de medicamentos passíveis de serem entregues aos usuários para dois ou três meses de tratamento. Usualmente, as pessoas precisam buscar os produtos mês a mês. A ação poderá beneficiar mais de 80 mil tratamentos, mas cada farmácia deverá fazer a gestão dos estoques para evitar que falte a alguém. Confira aqui a lista de medicamentos atualizada.

Dispensação por terceiros

Os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) idosos ou que estejam em grupos de risco para a Covid-19 têm a alternativa de que familiares ou amigos busquem os medicamentos. Se for um parente direto (filho, mãe, pai), basta levar um documento próprio. Se não for alguém da família, é preciso levar um documento próprio e do usuário (pode ser cópia ou foto) e uma declaração de autorização da retirada do medicamento, que pode ser escrita a próprio punho.

Texto: Ascom SES

Sandra Meotti

Governo divulga estudos sobre incentivos fiscais e impactos nas cadeias produtivas do agronegócio

Artigo anterior

37 Candidatos concorrem ao Legislativo em Arvorezinha

Próximo artigo

Você também pode gostar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Mais Geral