GeralNotícias

SOLEDADE | Família aposta na diversificação para aumentar a renda na propriedade

0
Tempo de leitura: 1 minuto

Trocar a cidade pelo interior e apostar no trabalho em família. Isto aconteceu com Lucas e Bruna Muniz, da localidade de Santa Terezinha, Soledade, que resolveram apostar nos sonhos, planejar e construir o futuro e sustento da família no interior. O casal se dedica à produção de alimentos e apostou na diversificação para aproveitar ao máximo os 4,5 hectares de terra e agregar renda.

A energia elétrica é essencial nas atividades da família, que iniciou há sete anos com a criação de tilápias em açudes. Durante a noite são necessários equipamentos elétricos para fazer a aeração da água, garantindo oxigênio para os peixes. Todos os anos, são mais de 10 mil tilápias comercializadas pela família.

Além dos peixes, estufas de temperos com salsinha, cebolinha, alface e couve-folha são produzidos pelo casal e comercializados em parceria com a família Gasparin, que faz a entrega na cidade. A estrutura possui irrigação, o que melhora a produtividade e otimiza o tempo.

O casal tem uma filha de 4 anos, que já acompanha os pais no dia a dia. “Estamos realizados, porque sempre gostamos de cultivar a terra. Fomos criados no interior com nossos pais fazendo isso, e hoje estamos criando nossa filha fazendo o que gostamos, incentivando e ensinando. Ver resultado no nosso trabalho é muito satisfatório”, disse Bruna.

Recentemente, Lucas decidiu investir e contou com a parceria da Coprel por meio do programa Fundo Mais Energia. A rede monofásica deu lugar a uma rede bifásica, melhorando a qualidade da energia, que agora também é utilizada para irrigar a produção de pitayas. A fruta exótica, ainda é pouco cultivada na região, mas a aposta está dando certo.

Para garantir a produção durante o ano, Lucas precisou colocar um sistema de irrigação, que serve para, além de molhar, controlar a geada. A irrigação é automatizada por tempo e temperatura. “Nos dias mais frios, com temperaturas próximas a zero grau, o sistema é ligado. É criada uma camada de gelo, e a planta resiste à temperatura baixa. Caso seja atingida pela geada, a planta e a produção podem ser perdidas, como já aconteceu no primeiro ano, sem a irrigação”, disse.

A pitaya precisa, em média, de 12 horas de luz para largar a flor. Na estação mais fria a pitaya não desenvolve flores e frutos, pois não recebe a quantidade de luz suficiente. Quando muda a estação e as horas de sol aumentam, a planta volta a produzir. A família cultiva as variedades roxa do Pará e branca comum.

Para Lucas, o incentivo da Coprel foi muito importante para continuar e ampliar a atividade: “Fomos em busca do aumento de carga para atender a demanda da propriedade, e fomos bem atendidos. Sem luz, não somos nada. Temos que ter uma energia constante e de qualidade, e sabemos que a Coprel se preocupa com isso”. O jovem, junto à sua família, vive feliz no interior: “Agradeço todo o dia por ter essa oportunidade de trabalhar em casa e ter a família junto. É um sonho poder trabalhar em pouca área e conseguir ter renda e viver bem”. Lucas e Bruna agora planejam expandir o negócio da família com a construção de dois aviários.

A Coprel é a grande parceira de muitas famílias que acreditam e desejam continuar e investir no interior e nos seus sonhos. Para conhecer como funciona o Fundo Mais Energia, entre em contato gratuitamente pelo número 116 ou 0800 701 3196 (ligação e WhatsApp).

Andressa de Oliveira

SERAFINA CORRÊA | BRF faz doação de alimentos e EPIS para Hospital

Artigo anterior

ARVOREZINHA | Construção de Sanitários Públicos é o pedido do Vereador Tiago Fornari

Próximo artigo

Você também pode gostar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Mais Geral