DestaqueNotíciasPolícia

“Um dos crimes mais bárbaros que se viu em Lajeado nos últimos tempos”

0
Tempo de leitura: 1 minuto

“Um dos crimes mais bárbaros que se viu em Lajeado nos últimos tempos.” É assim que o delegado Dinarte Maschall Júnior, titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e plantonista da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Lajeado neste sábado (4), definiu o crime ocorrido durante a tarde no município: a morte de uma menina de 5 anos de idade após ter sido violentada sexualmente por um homem de 35 anos, conhecido da mãe da criança.


Conforme apurado pelo delegado, na tarde de hoje (4) o sujeito foi até a casa da família e convidou a criança a acompanha-lo até o supermercado, o que foi autorizado pela genitora.

Passado algum tempo, diante da demora para o retorno, a mãe reuniu outros conhecidos e passou a fazer buscas à menina e ao suspeito. Ao encontrar uma guarnição da Brigada Militar (BM), a mulher relatou o ocorrido, dando início nas buscas policiais. A mãe também procurou a Delegacia de Polícia para registrar o desaparecimento de sua filha. Em seguida, policiais civis e bombeiros também se uniram à BM para procurar pela desaparecida e o suspeito.

Em dado momento, uma guarnição da Brigada localizou o sujeito vindo da direção da barranca do Rio Taquari para o centro da cidade. As suas roupas estavam molhadas e sujas de barro, assim como foram verificados sinais de luta corporal e arranhões pelo corpo. Ele foi detido e relatou não saber de nada a respeito do sumiço da criança.

Marschall Júnior informa que os policiais seguiram nas buscas, quando foram avisados por um popular que teria visto o indivíduo carregando a criança na garupa, seguindo em direção à barranca do rio, atrás de um supermercado, pela Rua Osvaldo Aranha. O policiamento então concentrou as buscas naquelas imediações, tendo localizado o corpo da menina, totalmente nu, boiando nas águas do Taquari, inconsciente.

A vítima, já em parada cardiorrespiratória, foi imediatamente encaminhada para atendimento no Hospital Bruno Born. Contudo, ela não resistiu e morreu às 17h38. O delegado acrescenta que o relatório do prontuário médico aponta indícios de violência sexual.

O sujeito preso foi então autuado em flagrante pelo crime de estupro de vulnerável, qualificado pela morte da vítima. As vestes foram recolhidas para a perícia, assim como foi solicitada a necropsia e perícia no corpo da criança para que se possa coletar vestígios comprovando a violência sexual. Posteriormente, o indivíduo foi recolhido ao Presídio Estadual de Lajeado, onde fica a disposição da justiça.

Policiais chorando

Fora do ar o delegado declarou: “O plantão que se encerra foi um dos mais difíceis da minha carreira. Nunca havia tomado o depoimento de um Policial Militar chorando. Estava difícil para todos que estavam na Delegacia de conter a emoção. Somos humanos. Nossa profissão não é pra qualquer um. Temos o dever de enfrentar o que outros não conseguiriam. Em contato com a médica que atendeu a menina, ela relatou que havia um batalhão na emergência lutando pra reanimar a criança. E por isso, é com justiça que enalteço o profissionalismo e agradeço o bom trabalho de todos que se envolveram nesta ocorrência”. MS

fonte: Grupo Independente

Andressa de Oliveira

Clima de retomada é a marca dos primeiros dias da Expointer 2021

Artigo anterior

5ª edição do Painel do Agronegócio do Rio Grande do Sul é lançada

Próximo artigo

Você também pode gostar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.